Apologética Católica

Maria sofreu ao dar a luz ao Filho Jesus Cristo?


EXPLICAÇÃO DE ECUMÊNIO SÉCULO para as dores de parto da Mulher do Apocalipse

As dores de parto são consequências do pecado original (cf. Gênesis 3,16). Para os católicos, Maria não teve esse pecado, logo, não teve dores de parto (cf. Is 66,7).

Em Apocalipse, entretanto, há um capítulo que os católicos dizem que sua vida é descrita em resumo, e lá, João cita “dores de parto”:

“Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas. Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar à luz.(…) Ela deu à luz um Filho, um menino, aquele que deve reger todas as nações pagãs com cetro de ferro. Mas seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do seu trono.” (Apocalipse 12:1-5)

Que dores seriam essas, que precederam o parto de Jesus?

Para interpretar essa passagem, deve-se considerar um sentido alegórico de “dores de parto”. No Novo Testamento, Paulo utiliza o termo “dores de parto” ( do grego ὠδίνουσα-ōdinousa) como uma metáfora para o sofrimento espiritual, para o sofrimento em geral, ou para o desejo do mundo como ele aguarda para o cumprimento final (cf. Gl 4:19; Rm 8:22). Todos sabemos que para Maria dar a luz a Jesus, foi uma agonia, um verdadeiro sacrifício espiritual (como a perseguição, o recenseamento, a falta de lugar para ficar…). João, portanto, resumidamente, anuncia as angústias de Maria de uma forma alegórica, através da imagem das angustiantes “dores de parto”. No século VI, Ecumênio, famoso por ser um dos primeiros a comentar completamente o livro do Apocalipse, explica:

“E assim, de acordo com as regras da linguagem figurativa, ele chama esse desânimo e tristeza de “gritar” e “angústia”. E isso não é incomum. Ainda para o bem-aventurado Moisés, quando ele estava conversando espiritualmente com Deus e perdeu o coração – pois viu Israel no deserto cercado pelo mar e pelo inimigo – Deus disse: “Por que você está chorando para mim? (Êxodo 14:15)”. Assim também aqui, a visão chama a disposição conturbada da Virgem em sua mente e coração à “gritar”.” (Ecumênio, Comentário no Apocalipse, capítulo 6,19,8)

Fontes

[1] Versão da tradução de John N. Suggit; The Fathers of the Church, Oekumenius, Commentary on Apocalypse, translated by John N. Suggit, 109.

11 respostas »

  1. Não existem evidências que Maria já nasceu purificada, ou seja, sem o pecado original. Existem apenas especulações, baseado no questionamento de: “como pode o impuro gerar o puro?”
    Pois bem! É necessário dizer que Jesus foi gerado por obra e graça do Espirito Santo no corpo de Maria para que o Cristo, que já era Deus, antes mesmo de Maria nascer/existir, pudesse ter um corpo humano com todas as características humanas e para que os Judeus pudessem, pela lógica humana, entender que o Messias era da linhagem de Davi, conforme as profecias.
    Não vemos nas Escrituras nenhuma exceção relacionada a pessoas que nasceram sem pecado, exceto Jesus.
    Em Romanos 3:10, o apóstolo Paulo diz que: “Não há justo, nem um sequer”. E por que não existem justos? Paulo nos dá essa resposta em Romanos 3. 23: “pois todos pecaram”. Paulo não diz que alguns pecaram, não diz que Maria foi exceção.
    Em apocalipse 5:2,3,4 o apóstolo João diz que não foi achado, nem no céu e na terra, alguém digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele. Mas apenas o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi – Jesus Cristo.
    Em seu cântico, Maria diz: “E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador” (LC 1:47).
    Se Maria não tivesse pecado, por que precisaria de um Salvador? Ela iria se salvar de que, já que nasceu purificada assim como Jesus?
    O que impede um pecador arrependido de ser agraciado pelo Senhor Deus?

    Curtir

  2. Em Apocalipse capítulo 12, João vê uma visão de uma mulher “vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas” (Apocalipse 12:1). Observe a semelhança entre essa descrição e a descrição que José deu de seu pai Jacó (Israel) e sua mãe e seus filhos (Gênesis 37:9-11). As doze estrelas referem-se às doze tribos de Israel. Assim, a mulher em Apocalipse 12 é Israel.

    Evidência adicional para essa interpretação é que Apocalipse 12:2-5 fala da mulher estando grávida e dando à luz. Embora seja verdade que Maria deu à luz Jesus, também é verdade que Jesus, o filho de Davi da tribo de Judá, veio de Israel. Em certo sentido, Israel deu à luz (gerou) Cristo Jesus. O versículo 5 diz que o filho da mulher era “um varão que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono”. Isso está claramente descrevendo Jesus. Jesus ascendeu ao céu (Atos 1:9-11), um dia vai estabelecer o Seu reino sobre a terra (Apocalipse 20:4-6) e reinará com juízo perfeito (a “vara de ferro”, ver Salmo 2: 7-9).

    A fuga da mulher para o deserto por 1.260 dias refere-se ao tempo futuro chamado de Grande Tribulação. Mil duzentos e sessenta dias são 42 meses (de 30 dias cada), o que é o mesmo que três anos e meio. Na metade do período da Tribulação, a Besta (o Anticristo) colocará uma imagem de si mesmo no templo que será construído em Jerusalém. Esta é a abominação de que Jesus falou em Mateus 24:15 e Marcos 13:14. Quando a Besta fizer isso, ela quebra o pacto de paz que havia feito com Israel e a nação tem de fugir por segurança – possivelmente à Petra (ver também Mateus 24; Daniel 9:27). Esta fuga dos judeus é retratada como “a mulher fugindo ao deserto”.

    Apocalipse 12:12-17 fala de como o diabo vai fazer guerra contra Israel, tentando destruí-la (Satanás sabe que o seu tempo é curto, relativamente falando – ver Apocalipse 20:1-3, 10). Essa passagem também revela que Deus vai proteger Israel no deserto. Apocalipse 12:14 diz que Israel vai ser protegida contra o diabo por “um tempo, e tempos, e metade de um tempo” (“um tempo” = 1 ano; “tempos” = 2 anos; “metade de um tempo”= meio ano; em outras palavras, três anos e meio).

    Curtir

    • Prezado,

      Esta é uma das versões aceitas pelos teólgos, mas não a única.
      Sabemos qual delas com 100% de certeza reflete a versão correta? Não, não sabemos. Portanto, uma discussão a cerca deste tópico específico torna-se sem benefício.
      Outra coisa a se considerar é que, na bíblia uma mesma passagem muitas vezes trasmite mais de uma mensagem.

      Pax Domini
      Hellen

      Curtir

      • Uma das coisas extraordinárias dos escritos canônicos é o fato de um texto completar o outro ou confirmar o outro. O fato de existirem várias versões, se dão pelo fato de existires várias interpretações/entendimentos a respeito de um determinado texto. Contudo, a melhor maneira de interpretar um texto bíblico é observar o contexto, ou seja, o que vem antes e depois do texto a ser analisado.
        O livro de apocalipse trata das coisa futuras, por isto é chamado de livro da revelação.
        Se o texto de AP. 12:1 foi colocado para se referir a Maria, me responda: qual o sentido de ser colocado ali?
        A senhora disse que não traz nenhum beneficio de se discutir acerca deste tópico especifico. Então por que o colocou num tema que questiona o sofrimento de Maria ao dar a luz à Jesus Cristo?

        Curtir

  3. Maria tinha sim o pecado original; ela era um ser humano como todos nós, pecadora igual a todo mundo. O pecado original foi a desobediência e não o sexo. O sexo foi criado por Deus, pois Ele mandou os seres humanos se reproduzirem e essa ordem foi dada antes do primeiro pecado.
    Sexo não eh pecado quando feito DEPOIS do casamento. Sexo não eh pecado! E Maria era pecadora SIM.

    Curtir

    • Prezada,

      Ninguém aqui está a dizer que o sexo é pecado. Mesmo porque ele, pode ou não o ser. Fora do casamento, por exemplo, é pecado. Quando feito de forma não natural, também o é.

      Contudo, a questão não é essa, e sim, a pureza necessária para a gestação do Santo de Israel, do Redentor, do Cristo!

      Poderia Jesus, o Verbo encarnado, encarnar do ventre de uma pecadora. Como pode o impuro gerar o puro? Não seria o pecado a doença, a impureza da alma?

      Leiamos:

      Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus. 18Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons

      Pode-se concluir que Maria havia de ser pura, para produzir o Fruto Jesus.

      Pax

      Curtir

      • Suponhamos que sua equivocada afirmação seja verídica: “Como pode o impuro gerar o puro?” Querendo dizer, como que Maria era pecadora se deu a luz ao Cristo? Então deixou outra pergunta em resposta: Como poderia os pais de Maria serem pecadores e ela ser pura? E em complemento a sua ignorância eu te digo: O que purifica é o espírito santo de Deus. Por isso Jesus foi batizado, porque trazia consigo o pecado original.

        Curtir

        • Parece plausível seu contra-argumento, entretanto, devemos nos lembrar que sobre Maria a própria bíblia dá o testemunho quanto a ser ela, “Cheia de Graça”. Ora, a Graça da qual ela foi repleta tem como fonte a vontade e o Poder de Deus. Então, assim Ele quis que ela viesse ao mundo: pura, a despeito da natureza imperfeita de seus pais.

          Já no que diz respeito aos pais de Maria, não temos afirmação alguma. Sendo assim, é plausível também arguir que pelo Dom da Graça Maria veio a mundo purificada, justamente para gerar aquele que por natureza jamais poderia vir de algo impuro, a sabre, Jesus. Sobre o Qual nosso credo, em consonância com a bíblia afirma ser:

          o Filho de Deus, gerado unigênito do Pai, isto é, da substância do Pai;
          Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não feito, consubstancial ao Pai;
          por quem foram feitas todas as coisas que estão no céu ou na terra.

          Não faz sentido que Deus escolhesse um vaso contaminado para carregar algo puro!

          Pax Domini
          H.

          Curtir

        • Não existem evidências que Maria já nasceu purificada, ou seja, sem o pecado original. Existem apenas especulações, baseado no questionamento de: “como pode o impuro gerar o puro?”
          Pois bem! É necessário dizer que Jesus foi gerado por obra e graça do Espirito Santo no corpo de Maria para que o Cristo, que já era Deus, antes mesmo de Maria nascer/existir, pudesse ter um corpo humano com todas as características humanas e para que os Judeus pudessem, pela lógica humana, entender que o Messias era da linhagem de Davi, conforme as profecias.
          Não vemos nas Escrituras nenhuma exceção relacionada a pessoas que nasceram sem pecado, exceto Jesus.
          Em Romanos 3:10, o apóstolo Paulo diz que: “Não há justo, nem um sequer”. E por que não existem justos? Paulo nos dá essa resposta em Romanos 3. 23: “pois todos pecaram”. Paulo não diz que alguns pecaram, não diz que Maria foi exceção.
          Em apocalipse 5:2,3,4 o apóstolo João diz que não foi achado, nem no céu e na terra, alguém digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele. Mas apenas o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi – Jesus Cristo.
          Em seu cântico, Maria diz: “E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador” (LC 1:47).
          Se Maria não tivesse pecado, por que precisaria de um Salvador? Ela iria se salvar de que, já que nasceu purificada assim como Jesus?
          O que impede um pecador arrependido de ser agraciado pelo Senhor Deus?

          Curtir

Seja respeitoso. Não ataque o autor, debata sua idéia. Não use linguagem obscena, profana ou vulgar. Fique no tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s