Apologética Católica

Perpétua virgindade da Virgem Maria


O que ensinavam e acreditavam os Pais da Igreja e primeiros Cristãos?

Muitos protestantes, não todos, pois coesão doutrinária, lamentavelmente não é um atributo do protestantismo, acreditam que a Virgem Maria tenha vivido uma relação matrimonial “normal” com seu esposo José. Porém, esta alegação não encontra amparo em vasto número de relatos dos Pais da Igreja, os quais escreveram de forma eloquente em testemunho ao contrário. Um importante documento histórico que apóia o ensino da virgindade perpétua de Maria é o Protoevangélio de Tiago, que foi escrito provavelmente menos de sessenta anos após a conclusão da vida terrena de Maria (por volta de 120 DC), quando as memórias de sua vida ainda estavam vívidas nas mentes de muitos.

Origem
“O livro [o proto-evangélio] de Tiago [registra] que os irmãos de Jesus eram filhos de José com uma ex-esposa, com quem ele se casou antes de Maria. Agora, aqueles que o dizem desejam preservar até o fim a honra de Maria na virgindade, de modo que aquele corpo dela que foi designado para ministrar à Palavra. . . pode não saber ter relações sexuais com um homem depois que o Espírito Santo entrou nela e o poder do alto a encobriu. E penso que está de acordo com a razão que Jesus foi o primeiro fruto entre os homens da pureza que consiste na castidade [perpétua], e Maria estava entre as mulheres. Pois não seria piedoso atribuir a qualquer outra senão a ela o primeiro fruto da virgindade ”(Comentário sobre Mateus 2,17 [248 AD]).

Hilário de Poitiers
“Se eles [os irmãos do Senhor] fossem filhos de Maria e não os tirados do casamento anterior de José, ela nunca teria sido entregue no momento da paixão [crucificação] ao apóstolo João como sua mãe, o Senhor dizendo a cada um, ‘Mulher, eis o teu filho’, e a João, ‘eis a tua mãe’ [João 19, 26-27), ao legar o amor filial a um discípulo como consolo ao desolado ”(Comentário sobre Mateus 1, 4 [AD 354]).

Atanásio
“Aqueles, portanto, que negam que o Filho é por natureza do Pai e próprio de sua essência, neguem também que ele tomou a verdadeira carne humana da sempre virgem Maria” (Discursos Contra os Arianos 2,70 [360 DC]) .

Epifânio de Salamina
“Cremos num só Deus, o Pai Todo-Poderoso, criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis; e em um só Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus. . . que por nós homens e para nossa salvação desceu e se fez carne, isto é, nasceu perfeitamente da santa sempre virgem Maria pelo Espírito Santo ”(The Man Well-Anchored 120 [374 DC]).

“E para a Santa Maria, [o título]‘ Virgem ’é invariavelmente adicionado, pois aquela mulher santa permanece sem mácula” (Medicine Chest Against All Heresies 78,6 [AD 375]).

Jerome
“[Helvidius] apresenta Tertuliano como testemunha [de sua opinião] e cita Victorinus, bispo de Petavium. De Tertuliano, não digo mais do que ele não pertencia à Igreja. Mas, com relação a Vitorino, eu afirmo o que já foi provado no evangelho – que ele [Vitorino] falou dos irmãos do Senhor não como sendo filhos de Maria, mas irmãos no sentido que expliquei, isto é, irmãos de ponto de parentesco, não por natureza. [Ao discutir essas coisas, nós] somos. . . seguindo as pequenas correntes de opinião. Não posso apresentar contra si toda a série de escritores antigos? Inácio, Policarpo, Irineu, Justino Mártir e muitos outros homens apostólicos e eloqüentes, que contra [os hereges] Ebion, Teódoto de Bizâncio e Valentino, sustentaram essas mesmas opiniões e escreveram volumes repletos de sabedoria. Se você já tivesse lido o que eles escreveram, seria um homem mais sábio ”(Contra Helvídio: A Virgindade Perpétua de Maria 19 d.C. 383]).

“Acreditamos que Deus nasceu de uma virgem, porque lemos. Não acreditamos que Maria se casou depois de dar à luz seu Filho, porque não lemos isso. . . . Você [Helvidius] diz que Maria não permaneceu virgem. Quanto a mim, afirmo que o próprio José foi virgem, por meio de Maria, para que um Filho virgem pudesse nascer de um casamento virginal ”(ibid.,

Cirilo de Alexandria
“[O] próprio Verbo, entrando na própria Virgem, assumiu para si o seu próprio templo da substância da Virgem e dela saiu homem em tudo o que externamente se discernia, embora interiormente fosse o verdadeiro Deus. Portanto, ele manteve sua mãe virgem mesmo depois de dar à luz ”(Contra aqueles que não desejam confessar que a Virgem Santa é a mãe de Deus 4 [430 d.C.]).

Dídimo, o Cego
“Isso nos ajuda a entender os termos ‘primogênito’ e ‘unigênito’ quando o Evangelista diz que Maria permaneceu virgem ‘até que deu à luz seu filho primogênito’ [Matt. 1,25]; pois nem Maria, que deve ser honrada e louvada acima de todas as outras, se casou com outra pessoa, nem se tornou Mãe de outra pessoa, mas mesmo depois do parto permaneceu sempre e para sempre uma virgem Imaculada ”(Trindade 3,4 [386 AD]).

Ambrósio de Milão
“Imitam-na [Maria], santas mães, que em seu único e amado Filho deu tão grande exemplo de virtude material; pois nem vós tendes filhos mais doces [do que Jesus], nem a Virgem procurou o consolo de poder dar à luz outro filho ”(Cartas 63, 111 [388 AD]).

Papa Siricius I
“Vós tendes bons motivos para ficar horrorizado com a ideia de que outro nascimento pudesse sair do mesmo ventre virginal do qual Cristo nasceu segundo a carne. Pois o Senhor Jesus nunca teria escolhido nascer de uma virgem se tivesse julgado que ela seria tão incontinente a ponto de contaminar com a semente das relações humanas o local de nascimento do corpo do Senhor, aquele tribunal do rei eterno ”(Carta ao Bispo Anysius [392 DC]).

Agostinho
“Ao nascer de uma Virgem que escolheu permanecer Virgem antes mesmo de saber quem dela nasceria, Cristo quis aprovar a virgindade em vez de impô-la. E ele queria que a virgindade fosse de livre escolha, mesmo naquela mulher em quem ele assumiu a forma de escravo ”(Santa Virgindade 4: 4 [401 DC]).

“Não foi o sol visível, mas o seu Criador invisível que nos consagrou este dia, quando a Virgem Mãe, fértil de ventre e íntegra em sua virgindade, o deu à luz, tornado visível para nós, por quem, quando ele era invisível, ela também foi criada. Uma Virgem concebendo, uma Virgem dando à luz, uma Virgem grávida, uma Virgem levando à luz, uma Virgem perpétua. Por que você se pergunta isso, ó homem? ” (Sermões 186: 1 [411 d.C.]).

“Os hereges chamados de Antidicomaritas são aqueles que contradizem a virgindade perpétua de Maria e afirmam que, depois que Cristo nasceu, ela se uniu a seu marido” (Heresias 56 [428 DC]).

Leporius
“Confessamos, portanto, que nosso Senhor e Deus, Jesus Cristo, o único Filho de Deus, nascido do Pai antes dos séculos, e nos tempos mais recentes, se fez homem do Espírito Santo e da sempre virgem Maria” (Documento da alteração 3 [AD 426]).

Cirilo de Alexandria
“[O] próprio Verbo, entrando na própria Virgem, assumiu para si o seu próprio templo da substância da Virgem e dela saiu homem em tudo o que externamente se discernia, embora interiormente fosse o verdadeiro Deus. Portanto, ele manteve sua mãe virgem mesmo depois de dar à luz ”(Contra aqueles que não desejam confessar que a Virgem Santa é a mãe de Deus 4 [430 d.C.]).

Seja respeitoso. Atenha-se ao tema do post. Comentários fora do tema original poderão ser excluídos.

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s